Show simple item record

dc.contributor.authorDaflon, Claudio
dc.date.accessioned2019-04-10T19:06:56Z
dc.date.available2019-04-10T19:06:56Z
dc.date.issued2018
dc.identifier.citationhttps://doi.org/10.32997/2382-4794-vol.10-num.10-2018-2224es
dc.identifier.issn1657-3633; e-ISSN: 2382-4794
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11227/7657
dc.descriptionhttps://revistas.unicartagena.edu.co/index.php/eltallerdelahistoria/article/view/2224/1805es
dc.description.abstractEste trabalho investiga como compositores de música popular no Rio de Janeiro dialogaram e negociaram com o projeto do Estado Novo, liderado pelo presidente Getúlio Vargas no Brasil. Naquele contexto, novas tecnologias sonoras e de gravação, somadas à busca de um ideal de ‘brasilidade’ compatível com a ‘revolução’ almejada pelo governo Vargas, abriram um espaço extraordinário (ainda que constantemente monitorado) para a produção e massificação de diferentes expressões da cultura popular, sendo o samba a mais potente entre elas. O artigo pretende analisar sambas que carregam interpretações e reivindicações sobre as profundas transformações que o varguismo impôs à realidade brasileira e ao espaço urbano do Rio de Janeiro. Concentro-me, sobretudo, na dimensão política das canções criadas por sambistas populares, e como estas desafiaram, contestaram ou evidenciaram tensões no modelo civilizatório que as autoridades no Brasil e em sua capital tentavam impor naquele momento.es
dc.language.isospaes
dc.publisherUniversidad de Cartagenaes
dc.subjectCiudadaniaes
dc.subjectCultura populares
dc.subjectRio de Janeiroes
dc.subjectVarguismoes
dc.subjectSambaes
dc.subjectBrasilidadees
dc.titleSamba, Brasilidade, E A Expansão Da ‘Cidadania Popular’ No Rio De Janeiro, 1937-1945es
dc.typearticlees


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record